Após ingerir álcool em escola na ZL, criança de 5 anos passa por lavagem estomacal

Criança - Leste Online
Menina de 5 anos chegou em casa cambaleando, vomitou e desmaiou — Imagem: Reprodução/RecordTV

Menina chegou a desmaiar e entrar em coma alcoólico. Diretora vai prestar depoimento e Secretaria da Educação apura o caso

R7


SÃO PAULO — Uma menina de cinco anos que foi internada após ingerir álcool em uma escola localizada no bairro da Vila Matilde, na Zona Leste de São Paulo, na segunda-feira (4), precisou passar por uma lavagem estomacal.

O procedimento tem como objetivo limpar o interior do estômago para retirar o conteúdo, no caso, o álcool, que ainda não foi absorvido pelo organismo. A lavagem foi feita porque a menina chegou a desmaiar e entrar em coma alcoólico.

O pai dela, Paulo Vieira, afirmou que a escola precisa se responsabilizar. “Nem em casa a gente guarda [bebida alcoólica] porque sabemos que criança mexe. Na escola, a gente acha que está tranquilo, mas não está”, disse.

A criança começou a passar mal à tarde na escola, momento em que as funcionários do local ligaram para a família e pediram para que a buscassem. Ao chegar em casa, os pais da menina notaram que ela estava com um comportamento estranho, “cambaleando” e chegou até a vomitar.

Inscreva-se em nosso canal do Telegram e receba atualizações em tempo real

“Ela estava vomitando, eu sentei ela na pia e perguntei ‘por que você está vomitando?’ e ela respondeu meio drogada: ‘eu comi álcool, papai'”, relatou o pai.

A diretora da escola foi chamada à delegacia para prestar esclarecimentos. A polícia quer entender em quais circuntâncias a criança conseguiu ter acesso à bebida. Segundo o pai, ela afirmou que pegou o álcool em um armário branco da escola.

“Pelo estado que ela estava, foi uma quantidade bem razoável. Talvez ela poderia até ter morrido”, disse o pai.

A Secretaria Municipal de Educação abriu uma apuração preliminar por conta da gravidade das informações e investiga a unidade escolar.

Agora, após passar um tempo desacordada e ter feito o procedimento de lavagem estomacal, a menina recuperou os sentidos, mas segue internada.