Zona Leste: Polícia apreende fuzis, pistolas e munições que seriam de bando que atacou Itajubá, MG

Apreensão - Leste OnlinePolícia Civil paulista apreende armas, coletes, capacetes e munições que teriam sido usadas por criminosos em ataque a banco em Itajubá (MG) — Foto: Divulgação/Polícia Civil de SP
Polícia Civil paulista apreende armas, coletes, capacetes e munições que teriam sido usadas por criminosos em ataque a banco em Itajubá (MG) — Imagem: Divulgação/Polícia Civil de SP

Criminosos agiram na noite da última quarta-feira (22) e chegaram a trocar tiros com a polícia. Confira o que se sabe sobre o roubo

g1


SÃO PAULO — A Polícia Civil prendeu neste sábado (25) em São Paulo um suspeito de envolvimento no ataque a uma agência da Caixa na cidade de Itajubá, no sul de Minas Gerais, na noite da última quarta (22). Na casa em que o homem foi preso, no bairro AE Carvalho, na Zona Leste da cidade, também foi encontrado armamento pesado que, segundo a polícia, foi usado durante a tentativa de assalto.

A lista de armamentos é extensa: três fuzis, uma espingarda, uma pistola, um seletor de rajadas (dispositivo que dá precisão aos tiros), muita munição, coletes à prova de bala e capacetes, além de dois explosivos que foram detonados no fundo da delegacia por policiais de um grupo de elite da corporação.

Inscreva-se em nosso canal do Telegram e receba atualizações em tempo real

Segundo nota do delegado Douglas Dias Torres, a polícia obteve informações de que o armamento pesado utilizado pelos criminosos estaria na cidade de São Paulo. “Localizamos em uma residência diversas armas de fogo e prendemos um indivíduo que guardava as mesmas”, afirmou.

A polícia investiga agora o grau de envolvimento do homem na quadrilha, se ele participou dos ataques ou se só pode ser responsabilizado pela guarda dos armamentos.

O delegado Jurandir Correia de Sant’Anna afirmou que os policiais passaram a noite e a madrugada no imóvel e, pela manhã deste sábado, quando a pessoa chegou e foi abordada, “prontamente assumiu que as armas estavam escondidas na casa, levou até o interior e achamos material escondido no fundo do sofá”.

O homem detido não foi interrogado até o momento, segundo o delegado, por ter passado mal após a abordagem. “Ele recentemente fez cirurgia cardíaca. Ele passou mal, foi socorrido, se encontra hospitalizado, então não foi possível interrogá-lo pra obter maiores detalhes por enquanto.”

Quatro PMs e um morador ficaram feridos durante a ação dos criminosos. A Polícia Militar (PM) confirmou que o cofre de penhor da agência foi atacado, mas não há informações se algo foi levado.

Agência destruída

Imagens que circulam nas redes sociais mostram como ficou a parte interna da Caixa Econômica Federal de Itajubá após ataque de criminosos à agência. A Polícia Civil confirmou que as fotos são da unidade depois da tentativa de assalto (confira as imagens mais abaixo).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nas fotos, é possível ver partes da agência destruídas, paredes caídas, áreas com grades quebradas e até cédulas de dinheiro no chão. As imagens também mostram um buraco feito pelos assaltantes na parte externa da Caixa, local em que os criminosos poderiam ter tido acesso ao local.

As investigações sobre o caso continuam e ainda não foi revelado se os assaltantes conseguiram levar algo da agência. As informações iniciais da Polícia Militar, no dia do ataque, eram de que os criminosos não teriam conseguido consumar o roubo. Os suspeitos, segundo a polícia, tinham como alvo o cofre de penhores da Caixa.

Os criminosos deixaram bombas em dois andares da agência após a fuga do local. Os explosivos foram desarmados, retirados da agência e detonados em área segura de Itajubá.

A Polícia Militar acredita que os criminosos que atacaram a agência da Caixa Econômica Federal, em Itajubá, ainda estejam em Minas Gerais.

Explosivos detonados

Policiais do esquadrão antibombas do Bope, o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar de Minas Gerais, retiraram e detonaram os explosivos deixados pelos criminosos durante o ataque à agência da Caixa Econômica Federal. O trabalho dos militares começaram na noite de quinta-feira (23), mas só foi finalizado por volta das 8h de sexta-feira (24).

As primeiras informações eram de que quatro explosivos haviam sido deixados na agência, sendo dois no primeiro piso e outros dois no segundo andar. Porém, de acordo com a major Layla Brunnela, durante a ação os militares perceberam que o volume de explosivos era maior do que estava perceptível.

Ainda de acordo com a porta-voz da PM, os explosivos já foram todos retirados. A detonação foi feita em uma área do parque da cidade. Ainda não foi informado a quantidade de explosivos retirados da agência.

A PM informou que a Polícia Federal faz a perícia no local.

O ataque

As policias Militar e Civil de Minas Gerais atuam em conjunto na busca pelos suspeitos de envolvimento na tentativa de roubo. A PM informou que, após a ação em Itajubá, os criminosos se dividiram em dois comboios, um em sentido a Pouso Alegre e outro em direção a São Lourenço, por Maria da Fé.

Em entrevista à EPTV, a porta-voz da PM, major Layla Brunnela, disse que dois policiais foram baleados durante a ação dos assaltantes – um no ombro e outro no braço. Ela também afirmou que a corporação apura denúncia que um dos suspeitos foi baleado e estaria escondido na zona rural da cidade.

Assalto Itajubá - Leste Online
Assaltantes armados atacam agência da Caixa Econômica Federal no Centro de Itajubá, MG — Imagem: Reprodução Redes Sociais

Sete veículos utilizados no assalto foram apreendidos pela PM. Três deles foram encontrados em Cachoeira de Minas, segundo a major. Um carro foi abandonado em uma estrada de terra em Extrema. Outro veículo também foi localizado em Itajubá.

Um outro carro foi encontrado com manchas de sangue abandonado bairro do Banhado, em Brazópolis. Dentro dele havia material explosivo, celulares, carregadores, combustível e sinais de várias perfurações de balas. Neste lugar teria acontecido um tiroteio entre policiais e criminosos e a prisão de um suspeito.

Na BR-459, também foram apreendidos diversos miguelitos, um tipo de prego que foram jogados na rodovia para tentar evitar que carros e viaturas da polícia passassem pelo local.

Na manhã de quinta-feira, a PM havia informado que mais três suspeitos tinham sido presos; no entanto, segue preso apenas um suspeito, localizado pela polícia ainda de madrugada.

A Prefeitura de Itajubá e a PM informaram que um morador que passava pelo local no momento do ataque foi baleado na perna esquerda e precisou ser socorrido para um hospital da cidade.

Inicialmente, a Polícia Militar havia informado que a ação tinha deixado sete pessoas feridas – dois moradores e cinco policiais; mais tarde, atualizou o dado: há quatro policiais e um morador ferido.

A assessoria de imprensa da Universidade Federal de Itajubá (Unifei) informou que o morador ferido é um estudante da instituição, que foi atingido dentro de seu carro. A universidade também informou que ele já foi liberado do hospital e levado para São José dos Campos (SP), onde vive sua família.

Tiroteio durante a noite

Nas redes sociais, moradores publicaram vídeos que mostravam homens armados e barulhos de intenso tiroteio pela cidade. Em outros vídeos, aparecem o que seriam reféns.

Antes do ataque à agência bancária, os criminosos assaltaram uma motorista de aplicativo e levaram o carro dela para área próxima a um quartel da PM na cidade, segundo informações da Guarda Municipal de Itajubá. Em seguida, o grupo se dividiu: parte atacou e fuzilou o quartel com tiros de fuzil e incendiou carros para dificultar a ação dos policiais, enquanto os demais invadiam o banco.

Assaltantes atacam agência bancária em Itajubá (MG) — Foto: Arte/g1

Assaltantes atacam agência bancária em Itajubá (MG) — Foto: Arte/g1

Segundo as primeiras informações, os criminosos não teriam conseguido abrir o cofre da agência. Em nota, a Caixa Econômica Federal afirma que “informações sobre eventos criminosos em suas unidades são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ratifica que coopera integralmente com as investigações dos órgãos competentes”.

De acordo com o tenente-coronel Flávio Santiago, da assessoria de imprensa da PM de Minas Gerais, depois que os criminosos fugiram de Itajubá foi registrado um tiroteio na região de Brazópolis e Paraisópolis, também no sul do estado; um suspeito foi preso no local.

Segundo a PM, a prisão do suspeito deve ajudar nas investigações e também para que os outros assaltantes sejam localizados e capturados — a suspeita é que ao menos 12 pessoas participaram da ação em Itajubá.

Inicialmente, foi informado que outro tiroteio havia ocorrido em SP, mas a PM mineira atualizou a informação e afirmou que não houve troca de tiros do lado paulista da divisa. Segundo a PM de São Bento do Sapucaí (SP) , os criminosos atearam fogo em um veículo na área da cidade, que faz divisa com Brazópolis, para impedir a passagem dos policiais paulistas. Ninguém ficou ferido.

Buscas pelos suspeitos

Segundo a Polícia Militar, a suspeita é que 12 pessoas tenham participado da ação em Itajubá. A Polícia Militar informou que concentra as buscas em Itajubá e outros municípios da área em busca dos suspeitos, com apoio de militares de outras regiões, além da Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Militar de São Paulo.

Ainda de acordo com a PM, os militares estão também fazendo buscas por propriedades rurais da região, pois há a possibilidade dos criminosos estarem escondidos nelas.

“Eles conhecem muito bem a região e acreditamos que a grande possibilidade de prisão desses infratores e continuamos nas operações (…). Nossos policiais estão preparados, foram muito treinamentos. Nós acreditamos que, com esse cerco, nós conseguimos êxito ao longo da manhã e do dia”, afirmou o tenente-coronel Santiago.

A PM informou que estão sendo utilizados drones durante as buscas pelos criminosos, além de aeronaves e força terrestre.