Adolescente fica gravemente ferido após sofrer acidente em creche abandonada da Prefeitura

CEI Abandonado - Leste Online
Escola abandonada onde o adolescente sofreu o acidente. — Foto: Arquivo pessoal

Jovem de 13 anos está internado em estado grave no hospital Santa Marcelina, na Zona Leste de SP, e corre o risco de ficar tetraplégico. Secretaria da Educação lamentou o ocorrido. Questionada sobre a interdição do local, a pasta ainda não respondeu

G1


SÃO PAULO — Um adolescente de 13 anos sofreu um acidente, nesta quinta-feira (25), em um Centro de Educação Infantil (CEI) abandonado, na Zona Leste de São Paulo.

Henrique de Lima dos Reis está internado no hospital Santa Marcelina em estado grave e corre o risco de ficar tetraplégico. Inicialmente, ele foi levado até a Unidade Básica de Saúde (UBS) Iguaçu, em São Lucas, na Zona Leste, por outro adolescente. Segundo a Prefeitura, na unidade, o adolescente recebeu os primeiros socorros e passou por atendimento médico sendo diagnosticado com politraumatismos na face, tórax e fêmur direito, com quadro respiratório estável.



Segundo líderes comunitários da região, a unidade CEI Indir Iguaçu, onde aconteceu o acidente, está desativada desde 2017, e as crianças e adolescentes do bairro usam o espaço para brincar. Os moradores afirmam ainda que entraram em contato com a Secretaria da Educação para pedir a interdição do local, mas não tiveram resposta.

O adolescente estuda em uma unidade da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF), que fica próxima do local do acidente.

CEI Abandonado - Leste Online
Segundo moradores do bairro o local está abandonado desde 2017. — Foto: Arquivo pessoal

Ariel de Castro Alves, advogado, especialista em direitos da infância e juventude, e integrante do Instituto Nacional do Direito da Criança e do Adolescente, afirma que Prefeitura deve ser responsabilizada pelo acidente, já que o local estava abandonado e sem nenhuma manutenção. “O tratamento de saúde do adolescente e os medicamentos também devem ser custeados. Depois deverão indenizá-lo por danos morais e materiais”.

Procurada pelo G1a secretaria municipal da Educação, informou que lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares do adolescente. A reportagem aguarda posicionamento sobre a interdição da creche.

pt_BRPortuguese