Crime aconteceu na manhã desta segunda (6) na Cidade Líder, até agora ninguém foi preso

Tiros foram direcionados à vítima, causa do crime é investigada. Foto: Divulgação / Polícia Civil

Um homem foi assassinado a tiros de fuzil, dentro de um Fiat Palio, por volta das 6h30 desta segunda-feira (6), no bairro Cidade Líder, zona leste de São Paulo. A vítima não teve a identidade revelada até o fim da manhã de hoje.

O crime tem características semelhantes a assassinatos recentes praticados pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) também na zona leste. No entanto, a polícia ainda investiga quais foram as causas do homicídio. Ninguém foi preso até o fim da manhã.

Segundo a PM (Polícia Militar), um Toyota Hilux emparelhou o Palio, no cruzamento entre as avenidas Líder e Maria Luiza Americano, em frente a um posto de gasolina. Criminosos que estavam no primeiro carro dispararam tiros de fuzil direcionados à vítima, de acordo com a polícia. Peritos analisam quantos tiros foram disparados. 

Havia três homens no Palio, segundo a PM. O motorista e o passageiro ao lado do motorista fugiram, de acordo com os policiais. O que estava no banco traseiro foi assassinado. Ainda não há suspeita do paradeiro dos criminosos. Será investigado se os dois homens que saíram ilesos do Palio estavam mancomunados com os homens da Hilux.

“Apenas um indivíduo permaneceu no veículo e entrou no óbito. Sobre os outros dois, um motorista e um passageiro, não há informações”, disse a assessoria de imprensa PM. “O carro foi metralhado. Foram encontradas cápsulas de fuzil 556”, complementou a corporação.

A reportagem teve acesso a uma imagem do crime, forte, que mostrava o homem morto com as pernas no banco da frente do carro.

O caso foi registrado no 66º DP (Distrito Policial), no Aricanduva, e é investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa). Segundo informações preliminares, a principal suspeita da polícia é de que tenha ocorrido um acerto de contas entre criminosos, uma vez que os tiros teriam sido todos direcionados ao banco traseiro do carro.

A característica do crime é semelhante a outros três que aconteceram na zona leste de São Paulo este ano. No último dia 23 de julho, no Tatuapé, Cláudio Roberto Ferreira, o Galo Cego, 38, integrante do PCC, morreu baleado a tiros de fuzil dentro de um Audi Q3 blindado.

Em fevereiro deste ano, outros dois membros da facção foram mortos a tiros de fuzil no Tatuapé. O primeiro, no dia 10, foi Eduardo Ferreira da Silva, 40, o Borel, dentro de uma Mercedes-Benz. O segundo, no dia 22, foi Wagner Ferreira da Silva 32, o Cabelo Duro, em frente a um hotel.

Cabelo Duro, segundo o MP (Ministério Público), estava no helicóptero que levou à morte, no Ceará, os integrantes da cúpula do PCC Rogério Jeremias de Simone, 41, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, 38, o Paca, no início do ano.

Fonte: UOL