Ataques de morcegos aumentam 54% em São Paulo em 2019

Religiosos têm sofrido ataques ao visitar templo improvisado em área de proteção ambiental na Zona Leste

G1
13/08/2019 – 19:08


 

Morcegos - Leste Online
Casos de mordidas de morcego crescem em São Paulo. Foto: Reprodução

 

SÃO PAULO — A cidade de São Paulo registrou, até agosto deste ano, 164 casos de ataques de morcegos, segundo a Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa). O número representa um aumento de 54% em relação aos 106 casos registrados em todo o ano de 2018,

Em Cidade Tiradentes, na Zona Leste da capital, 9 pessoas deram entrada em hospitais por mordidas do animal. Os casos são preocupantes, uma vez que os morcegos podem transmitir raiva. Casos da doença, no entanto, não são registrados na capital desde 1981.

Uma das explicações para o aumento dos ataques é a presença de humana no habitat natural dos morcegos. Em Cidade Tiradentes, isso vem ocorrendo porque religiosos estão se encontrando para orar em uma área de preservação ambiental.

Monte de orações

Embora uma placa da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) avise que a área é de preservação ambiental, religiosos usam trilhas para chegar até o local conhecido como “Monte de Orações”, onde a entrada não é controlada.

Quem mora próximo ao local afirma que o templo improvisado é frequentado há mais de 10 anos. “Na sexta à noite o movimento aqui é bem grande mesmo. Essa rua fica completamente cheia de carros, os dois lado da outra ali lateral também, cheia de carro”, diz um morador.

Uma amiga da auxiliar de enfermagem Raimunda Barbosa foi mordida durante uma oração. “Ela sentiu uma picada e começou a sangrar. Sangrou bastante”, afirma.

Por causa dos ataques, um grupo também mudou a rotina de visitas“. Tem bastante morcego, sim. As irmãs até pararam de vir à noite por causa dos morcego”.

O terreno de um milhão de metros quadrados foi comprado pela CDHU na década de 90. Da área total, 30% são reserva ambiental.

“O que está acontecendo é um uso indevido pelas pessoas de uma área de proteção ambiental. Se tivesse que haver um impedimento, teria que ser um por força policial. A CDHU não tem autoridade para fazer isso. O que a gente faz é uma orientação prévia das coisas que não podem acontecer nesse trajeto das pessoas”, afirma o diretor financeiro da CDHU, Nedio Rossélio Filho.

Segundo ele, a área deve sair do controle da companhia.”A CDHU vai fazer a doação dessa área para a área de ambiental do estado. É lá na Fundação Florestal que vai ser definido o que vai poder ser feito nessa área, que tipo de uso vai dar”, afirmou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que capturou um morcego em Cidade Tiradentes. O animal foi encaminhado para exame de raiva e a análise ainda não terminou. Matar morcego é crime ambiental e rende multa e até prisão, nos casos mais graves.