Uma das maiores tragédias ferroviárias do Brasil, em Itaquera, completa 34 anos

Acidente Itaquera - Leste Online
Equipes de resgate atuando no local do acidente. - Imagem: Reprodução/Wikipédia

Dois trens da CBTU se chocaram na antiga estação Itaquera, deixando 58 mortos e 140 feridos


SÃO PAULO — Um triste acidente ocorrido em Itaquera completa hoje (17), 34 anos. No saldo, 58 vidas interrompidas e 140 pessoas feridas.

Era por volta de 15:27, quando uma locomotiva finalizava uma manobra de desvio, a uma velocidade de aproximadamente 40 km/h, enquanto um outro trem seguia a 70 km/h, na mesma via, em sentidos opostos, o resultado foi uma colisão causando um choque que rompeu a estrutura metálica de ambas as composições, sendo que uma das locomotivas foi atingida a partir do 4º vagão.

A primeira composição, de prefixo UW 56, partiu da estação Roosevelt (atual Brás) em sentido a Mogi das Cruzes; enquanto a segunda, de prefixo UW 77, saía do município de Mogi das Cruzes para o centro de São Paulo no sentido inverso. Ambas as composições carregavam em torno de 3000 passageiros cada uma. Em razão da ocorrência de obras de manutenção dos trilhos, a composição que partiu da capital mudou de linha por alguns quilômetros, circulando na contra-mão.

A ferrovia era administrada pela CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), que na época, por problemas econômicos, a manutenção da sinalização havia se tornado deficiente.

A colisão ocorreu na antiga estação Itaquera — local hoje conhecido como Praça da Estação, no centro de Itaquera.

17 de fevereiro de 1987 ficou marcado como o dia de uma das maiores tragédias ferroviárias do país.

Investigações

Inicialmente, foi atribuída uma falha humana como responsável pelo acidente. O maquinista da segunda composição estaria trafegando em velocidade maior que a permitida para o trecho, e teria acionado os freios somente a 300 metros da composição que partira de São Paulo, onde o ideal seria a 500 metros. Entretanto, outras investigações apontaram a má sinalização como uma das causas do acidente, já que constatou-se a inexistência de um semáforo (que indicaria atenção ou parada imediata, removido por conta de manutenção) no trecho que antecedia o nó de mudança de trilhos.

Trens envolvidos

As composições do acidente foram construídas pela Mafersa, denominada série 431 pela RFFSA, em 1978. Uma das composições envolvidas no acidente foi recuperada e modificada pela RFFSA, sendo instalada uma janela central em sua máscara frontal (semelhante ao TUE Série 4400). Este trem está aposentado, devido a um incêndio em seu painel elétrico.

Trem Acidente - Leste Online
Um dos trens acidentados em serviço, 2006. Ele foi reconstruído pela CBTU, recebendo uma terceira janela. O outro trem envolvido foi desmanchado. – Imagem: Reprodução/Wikipédia

Outros acidentes ferroviários em São Paulo

Outubro de 1958
14 mortos e dezenas de feridos. Próximo à estação da Lapa

Março de 1959
50 mortos e mais de cem feridos. Estação Engenheiro Goulart

Março de 1968
16 mortos e 35 feridos. Trem da Central do Brasil bate em um ônibus no Tatuapé

Janeiro de 1968
Sete mortos e 70 feridos. Batida de um trem de carga com trem de passageiros dentro de um túnel na serra do Mar

Março de 1969
20 mortos e 200 feridos. Trem choca-se com outro, em Perus

Junho de 1972
24 mortos e 66 feridos. “Trem de estudantes” é atingido por outra composição que ia no mesmo sentido

Janeiro de 86
102 feridos. Um trem da Fepasa choca-se com uma composição parada em Itapevi

Fevereiro de 87
58 mortos e 140 feridos. Dois trens da CBTU colidem a 300 m da estação de Itaquera

Abril de 87
231 feridos. Colisão entre os dois trens de subúrbio da CBTU, no dia 10, a 2 km da estação de Perus deixa 231 pessoas feridas

Julho de 88
Choque entre um trem de passageiros, no dia 11, e uma composição de carga da Ferrovias Paulistas S/A (Fepasa), na estação ferroviária de valinhos, fere 150 pessoas

Maio de 94
Locomotiva passa no sinal vermelho e bate em trem da CBTU, choque ocorreu entre as estações Barra Funda e Luz. Duas pessoas morreram e 12 ficaram feridas

Fevereiro de 95
Uma pessoa morreu e pelo menos nove se feriram em um acidente envolvendo um ônibus e um trem de passageiros em Rio Claro

Maio de 95
83 pessoas ficaram feridas após um trem que vinha de Rio Grande da Serra ser atingido por outro

Setembro de 97
Descarrilamento deixa 30 feridos em Itaquaquecetuba

Agosto de 98
Colisão entre trem deixa oito feridos entre Itaquaquecetuba e Póa. Passageiro acionou mecanismo que abriu a porta do trem, que parou. Outro trem acabou batendo na traseira do veículo

Abril de 2000
Em Itaquaquecetuba, trem da CPTM descarrila e bate em outra composição que vinha da estação de Engenheiro Manoel Feio, no Itaim Paulista. O acidente deixa 16 feridos

Veja a repercussão do caso em jornais e revistas da época

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

pt_BRPortuguese