Metrô de SP anula licitação para instalar portas de segurança nas plataformas

Portas de plataforma - Leste Online
Porta de plataforma do Metrô de SP — Imagem: Reprodução/TV Globo

Em dezembro de 2020, Justiça determinou anulação após ação popular apontar irregularidades no processo de escolha da empresa vencedora. Contrato, firmado em 2019, previa 88 portas de segurança em 36 estações

G1


SÃO PAULO — O Metrô de São Paulo anulou a licitação que previa a instalação de 88 portas de segurança nas plataformas de 36 estações. A medida foi publicada no Diário Oficial. Processo deve ser refeito.

A anulação foi determinada pela Justiça após uma ação popular contestar o contrato assinado pela companhia com o consórcio Kobra.

Atualmente, o equipamento existe nas linhas 4 – Amarela e 5 – Lilás, que pertencem ao setor privado. As portas só abrem quando o trem chega, o que impede que os passageiros, ou objetos, caiam nos trilhos, oferecendo mais segurança aos usuários.

Em 2019, o consórcio Kobra ganhou a licitação por R$ 340 milhões. O acordo previa a instalação das portas em 88 fachadas de 36 estações. A empresa vencedora deveria instalar 46 portas de plataforma entre as 23 estações da linha 1 – Azul.

A Linha 2 – Verde receberia 4 portas. E as 38 restantes seriam instaladas nas estações da Linha 3 -Vermelha.

A ação popular questionou a desclassificação de uma das concorrentes, que oferecia valor mais baixo que o do Kobra.

Em nota, o Metrô disse que, em cumprimento à decisão judicial, abriu o procedimento para a anulação do contrato. E que o procedimento será feito em acordo com a lei.

O texto também afirma que o serviço estava em fase de aprovação dos projetos elaborados, com o pagamento de 0,02% do valor total do contrato.

pt_BRPortuguese